sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Cérebro e Aprendizagem


Neurônios desenvolvem-se a partir de um padrão genético moldado pelas exigências e estímulos ambientais.
Por Marcos Manes 
     O curso dinâmico do desenvolvimento do cérebro é um dos aspectos mais fascinantes da condição humana, uma vez que combina a interação genética e ambiental. O cérebro de um recém-nascido é apenas um quarto do tamanho de um adulto e, durante todo o curso de sua infância, experimenta um crescimento intensivo de neurônios. Mas isso é um fenômeno eminentemente biológico condicionado pela experiência, uma vez que este será o orientador de como as conexões neurais são preservadas e quais ligações serão apagadas.
     As primeiras  áreas do cérebro a amadurecer são as informações mais básicas relacionadas com controle visual ou motor de movimentos. Mais tarde se desenvolvem outras, tais como a linguagem e orientação espacial. As últimas áreas que amadurecem entre as segunda e terceira décadas de vida, são aquelas que estão localizadas na área frontal. Estes dados permitem-nos compreender que o cérebro de uma criança, e até mesmo de adolescentes se encontra em amadurecimento n as áreas envolvidas na inibição do impulso, na tomada de decisões, planejamento e flexibilidade cognitiva ou intelectual.
  A compreensão dos fenômenos da biologia do cérebro em desenvolvimento pode abordar questões-chave para a aprendizagem.
    Todas essas evidências emergentes de pesquisa neurocientífica sobre a forma como o cérebro se desenvolve e aprende têm o potencial de gerar um grande impacto na prática educativa. Compreensão de fenômenos da biologia do cérebro em desenvolvimento pode abordar questões-chave para a aprendizagem, tais como a memória, a atenção, a alfabetização, a compreensão da leitura, cálculo, o sonho, a noção de inteligência, interação social, como é o impacto emocional e até mesmo motivação desempenha o papel. Há também dados verificáveis ​​sobre como o cérebro processa a informação nova ao longo da vida, sobre o papel da imitação, ele precisa de tempo para aquisição do conhecimento, apoio para as correções de “bugs”  e  eis aí a importância do papel ativo e fundamental do professor. Vários achados da neurociência têm demonstrado que a interação com outros seres humanos é fundamental para a aprendizagem de crianças e adolescentes. É na intersecção de diferentes disciplinas que são alcançados maior conhecimento e práticas mais eficazes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário