sábado, 20 de outubro de 2012

Ilusões de Ótica

    

    Todas as ilusões que enganam o nosso sistema visual são consideradas ilusões de ótica. A ilusão faz com que visualizamos qualquer coisa que não esteja presente ou faz com que enxerguemos imagens de uma forma distorcida. Para entender como uma ilusão de ótica funciona, o importante é pensar que o olho humano capta as imagens, mas quem processa e forma as imagens é o cérebro. O olho capta a luz em pontinhos microscópios, como se fosse uma câmera, e é o cérebro que interpreta as imagens.

Imagem: http://xa.yimg.com/kq/groups/22751439/1974275317/name/FundamentosPercepcao.pdf
    Toda imagem é transmitida ao cérebro para ser decodificada e interpretada, mas em determinadas condições, essa interpretação pode ser errônea, pois temos certa dificuldade em comparar ângulos, comprimentos e distâncias.
Imagem: http://xa.yimg.com/kq/groups/22751439/1974275317/name/FundamentosPercepcao.pdf

    Embora as ilusões visuais sejam as mais estudadas, elas existem em outras modalidades sensoriais, como audição, tato, olfação e gustação. Segundo Parisoto & Hilger (2011, p, 48), em nossa experiência diária, muitas vezes, nos deparamos com situações em que somos enganados pelos nossos sentidos. Ao entrar em uma sala após passar algum tempo ao Sol, temos a impressão de que a sala está escura e vai clareando aos poucos. Na verdade a iluminação não foi modificada. O problema está em como nossos olhos percebem o contraste.

Interessante, observe a imagem... 

   Santana (2007, p. 38) diz que ao observarmos o menino de ponta cabeça, não reparamos que sua boca e seus olhos foram invertidos, pois só podemos perceber isso quando sua imagem está em posição normal. Isso ocorre porque o nosso cérebro tem uma área específica para reconhecer faces. Se uma face nos é apresentada de ponta-cabeça, nosso cérebro não interpreta essa imagem como uma face, e sim como um objeto – por isso não somos capazes de perceber que a boca e os olhos foram invertidos. 


Curiosidade: pessoas com alguma lesão nessa região do cérebro são incapazes de reconhecer faces, doença chamada de prosopagnosia.








Referências:

LEITE, Jair. Fundamentos Teóricos: Percepção Visual. Disponível em http://xa.yimg.com/kq/groups/22751439/1974275317/name/FundamentosPercepcao.pdf

PARISOTO, Mara. HILGER, Thaís. Ilusão de ótica: contraste. Física na Escola, v.12, nº 2, 2011. Disponível em http://www.sbfisica.org.br/fne/Vol12/Num2/a13.pdf

SANTANA, Claudia. Parece mais não é. Revista Cultura. 2007. Disponível em http://www.feitosa-santana.com/claudia/faq/parece_mas_nao_e.pdf




2 comentários: