sábado, 24 de novembro de 2012

Você consegue controlar suas emoções?

Ana Lúcia Hennemann- Nov/2012
  
   Já aconteceu com você de estar vivendo um dia maravilhoso e do nada chega um indivíduo que com apenas um simples comentário, te deixa com aquela sensação de tristeza. Estragou seu dia!
     Pois é, a população do planeta atingiu 7 bilhões (7 mil milhões) de pessoas e por que damos tanta ênfase ao que apenas uma diz?
     Certa vez comentando um fato a uma amiga e relatando como estava me sentindo a respeito daquilo, a pessoa que me ouvia simplesmente disse: - Por que você dá tanto poder a esta pessoa! Que balde de água fria! E, sinceramente a partir daí comecei a perceber que as pessoas só tem o poder que damos a elas. Mas, não é fácil pensar assim, pois às vezes é preciso respirar  fundo, contar até dez e engolir o “nó” preso na garganta.
     Entretanto, ouvir os que os outros nos dizem é algo vital para o ser humano, pois é através do olhar do outro que nos percebemos como indivíduos. Somos seres de interação social. Mas, quando o assunto em questão mexe com nossos valores e crenças, aí sim, estamos diante de um grande dilema, MacKay (2000, p.18) traz todo um repertório do porque é importante ouvir e ser ouvido,

É cabível que ao ouvir suas crenças mais arraigadas, sendo alvo de críticas, você se sinta ofendido e pessoalmente ameaçado. Ouvir é inegavelmente perigoso, uma vez que pode prejudicar sua autoimagem e mudar efetivamente sua maneira de ser. Tal risco, entretanto, pode valer a pena. Reflita por um momento sobre as palavras de Elton Mayo, particularmente adequadas a esse contexto: “Um amigo de verdade, uma pessoa que nos compreende e que se dá o trabalho de ouvir nossos problemas, é capaz de alterar toda nossa visão de mundo”.

    Entretanto ao ouvirmos uma crítica, nos sentimos ameaçados e dentro de nós estas explosões emocionais acionam nosso estado de alerta e recruta o resto do cérebro para o seu plano de emergência. E isso tudo acontece na  amígdala, um centro no sistema límbico.
     Nos seres humanos, a amígdala vem do grego e significa amêndoa, é um feixe em forma de amêndoa, de estruturas interligadas situado acima do tronco cerebral, próximo à parte inferior do anel límbico. Há duas amígdalas, uma de cada lado do cérebro.
     Em alguns momentos quando não conseguimos ter a maturação cerebral para lidar com determinadas situações perdemos o “controle” e explodimos com alguém – com parentes, colegas de trabalho, no trânsito... – e depois ficamos até perplexos com as nossas próprias atitudes irracionais.
     Os sinais que vêm dos sentidos permitem que a amígdala faça uma varredura de toda experiência, em busca de problemas. Isso a põe num poderoso posto na vida mental, alguma coisa semelhante a uma sentinela psicológica, desafiando cada situação, cada percepção, com apenas um tipo de pergunta em mente, a mais primitiva: É alguma coisa que odeio? Isso me fere? Alguma coisa que temo? Se for esse o caso – um Sim – a amígdala reage instantaneamente, como um fio de armadilha neural, telegrafando uma mensagem de crise para todas as partes do cérebro.
     Os sentimentos em linha direta à amígdala são os mais primitivos, grosseiros e poderosos, e acaba por explicar o poder da emoção para esmagar a racionalidade. Enquanto a amígdala nos lança à ação, o neocórtex (racional) ainda está pensando qual o plano mais adequado!
Portanto, diante de uma crítica, mantenha a calma e pense nas seguintes questões:

1. Nunca iremos satisfazer a todos- Quando você percebe que algumas pessoas nunca ficarão satisfeitas, você passa a ver essas críticas como a minoria e não irá mais levá-las tão a sério.
2. Tristeza adora companhia- Infelizmente existem pessoas que adoram criticar os outros, é um vício... Quando perceber que alguma dessas pessoas está te criticando, não se deixe abalar pela crítica. Na verdade, se distancie o máximo possível delas que eventualmente os críticos se cansarão de serem ignorados e seguirão em frente.
3. Algumas vezes é melhor não fazer absolutamente nada- Tentar argumentar com os críticos normalmente só alimenta seus egos, o que acaba aumentando as críticas. Existe um grande ditado que diz “A melhor resposta para um tolo é o silêncio”.
4. Tente ouvir a crítica- Por mais que seja difícil ouvir críticas, pode ser que haja um pouco de verdade naquilo, então observe o que está sendo dito. Preste atenção para a proporção de pessoas que discordam de você. Se mais de metade do seu círculo de influência discorda de você, talvez você esteja errado. Porém, se o número de críticos for menor, tipo uns 10%, provavelmente você está no caminho certo.
5. Lembre-se: Crítica = Progresso- Receber críticas pode ser visto como um sinal de progresso. Se você não é muito conhecido, dificilmente será criticado, a não ser que seja por familiares e amigos. Na verdade, as pessoas perceberem você ao ponto de criticá-lo é sinal de progresso.


Fonte:

- MACHADO, Millor. 5 excelentes dicas sobre como lidar com críticas.  Disponível on line em http://www.saiadolugar.com.br/dia-a-dia-do-empreendedor/5-excelentes-dicas-sobre-como-lidar-com-criticas/

- MACKAY, Ian; Como ouvir pessoas. São Paulo: Nobel, 2000. Disponível on line em http://veterinariosnodiva.com.br/books/ComoOuvi%20Pessoas-Ian%20MacKay.pdf

2 comentários:

  1. Esse artigo me ajudou mto!
    Obg.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Que bom que tenha ajudado. E se quiser mais sobre o assunto é só seguir os links da Fonte citada que também tem muito material bom ali. Abçs

      Excluir