sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Pílula promete a cura para o Alzheimer


   

 Nesta  terça-feira, o professor Claude Wischik, da Universidade de Aberdeen, numa conferência internacional de demência, disse que em 4 anos estará no mercado uma pílula que com certeza será a cura para o Alzheimer, desde que se inicie o tratamento na fase inicial.
Esta pílula foi desenvolvida por cientistas britânicos e testada em pacientes com resultados “sem precedentes”.
  Segundo Wischik, se as pessoas iniciarem logo o tratamento com esta pílula conseguirão sair do abismo, pois a LmTX (como está sendo chamada) é uma droga que trabalha diferente aos tratamentos atuais. Pois os medicamentos existentes retardam a doença de Alzheimer, mas sua capacidade de lidar com a causa é subjacente, pois o efeito desaparece rapidamente, mas logo a doença reaparece e de forma devastadora.
   A LmTX por sua vez, destina-se a impedir a acumulação de uma proteína denominada tau no cérebro e será testada em pessoas com Alzheimer na sua fase inicial. Tau é uma proteína encontrada normalmente em células, mas durante a doença de Alzheimer e outras demências, pode comportar-se de maneira anormal e se agregam para formar "emaranhados"
   Rember (como será chamada a LmTX), já foi testada em doentes com resultados promissores. Dada a homens e mulheres com demência leve a moderada, as cápsulas Rember retardou a progressão da doença em 90 por cento, por dois anos. Os pacientes estavam mais confiantes e mais capazes de lidar com a vida diária. Uma mulher com Alzheimer leve foi capaz de voltar ao trabalho, mas ainda está em tratamento com a nova pílula.

Fonte: Daily News

Nenhum comentário:

Postar um comentário