sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Por que algumas pessoas não reconhecem você?



Mesmo que seja uma rápida olhada na imagem, para a maioria das pessoas, em milésimos de segundo, surgem um aparato de informações que vão desde o nome deste cidadão, além de todo um conjunto de informações associadas - o que ele faz..., talvez alguns filmes que participou..., se ele é casado... talvez até mesmo se ele não está mais casado. 
A maioria destas informações (dependendo do seu nível de familiaridade com as particularidades do cavalheiro em questão) vai surgindo automaticamente e sem esforço, caso essa pessoa lhe seja familiar.
Entretanto para algumas pessoas pode até ser impossível o reconhecimento deste indivíduo. Trata-se da prosopagnosia.



O que é?
Embora em algum momento todas pessoas possam apresentar problemas leves de reconhecimento facial, assim como o esquecimento de nomes, na prosopagnosia é diferente pois é muitas vezes referida como "cegueira facial." É a incapacidade de distinguir pessoas ou lembrar rostos das pessoas.

Cecilia Burman sempre teve um problema com rostos. Quando criança não identificava seu próprio rosto em fotos de escola, e ela é duramente pressionada até hoje para descrever as características de sua mãe. Ao longo dos anos, inúmeros amigos se ofenderam quando ela  passava pelas ruas do bairro ou em corredores do escritório e não os cumprimentava. "As pessoas pensam que eu sou apenas esnobe", diz Burman, 38 anos. 

- Algo que se destaca é a dificuldade no reconhecimento de rostos de pessoas com quem se convive a todo momento, no dia-a-dia, inclusive familiares, ou do próprio reflexo no espelho.
- Uma das queixas mais frequentes é a existência de problemas em acompanhar programas de televisão ou filmes, porque não conseguem seguir a identidade dos personagens.
Conforme Araújo, os prosopagnósicos não têm nenhum tipo de problema de visão e, da mesma forma que observam e guardam outros detalhes das pessoas, são capazes de distinguir claramente se alguém está feliz ou triste. Mas o que eles veem, então, quando olham para uma face? “Eu não consigo ‘montar’ o rosto inteiro. Se eu fechar os olhos, só lembro das partes, nunca do conjunto”.

Tipos de Prosopagnosia:
Adquirida – Surge devido a AVC, doenças degenerativas ou por lesões de traumatismo cranioencefálico que afetam regiões do cérebro responsáveis pelo reconhecimento facial.
Congênita ou hereditária – mais comum. Com origem genética.
A prosopagnosia ainda pode ter outras causas ou comorbidades que dificultam sua etiologia, relacionadas a déficits neurológicos e cognitivos.
Segundo uma pesquisa realizada num grupo de trabalho no Instituto de Genética Humana de Münster, foi constatado que “cerca de 2% da população é afetada por essa inabilidade em algum grau” (GRÜTER, 2010, p.68).
A Prosopagnosia afeta igualmente homens e mulheres.

Prosopagnosia na escola...como o professor poderia auxiliar:

As crianças que possuem esse distúrbio acabam reconhecendo pessoas e objetos por meio de outros sinalizadores, como por exemplo, cheiro ou odor, tato, etc., por isso:
- Nos primeiros dias de aula os professores devem evitar, trocar o  corte ou a cor do cabelo e óculos, até que o aluno consiga estabelecer algum ponto de referência com o mesmo;
- Faça atividades que associem nomes a características externas, como cor do cabelo, olhos e roupa, bem como brincadeiras que estimulem a memorização de vozes.

Tratamento:
O tratamento desse distúrbio ainda é limitado e consiste no auxílio ao indivíduo para descobrir e ganhar habilidades em novas formas de reconhecimento de rosto. O agravamento deste distúrbio pode deixar a pessoa incapacitada e provocar outros distúrbios comportamentais e psicológicos, como irritação, medo, afastamento, isolamento, dependência, etc

Cérebro e prosopagnosia:
Através de PET (A Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET) é um exame diagnóstico que serve para o médico obter informações sobre as  atividades metabólicas do seu  organismo), observa-se que há uma área no lado direito do cérebro, que é especializado na percepção das pessoas. 
Estas áreas, as regiões ventrais dos lobos occipital e temporal, mostram-se envolvidas na percepção das faces.  As regiões posteriores ajudam a juntar as características individuais dos rostos, enquanto a área em frente a ela auxilia na identificação e memória de informações bibliográficas da pessoa a quem pertencem o rosto.
Observa-se na imagem que a via de percepção facial é descrita através do caminho de várias partes do cérebro. A via dorsal está intacta, mas em pessoas com prosopagnosia, a via ventral é perturbada.  











Agora, se você é como eu, você não tem prosopagnosia, mas você tem uma memória terrível, especialmente por tentar lembrar de pessoas que não vê com frequência, ou então, leia o caso mencionado por Martha Medeiros...

Mas para quem tiver interesse para saber mais sobre esse assunto há o livro:

O homem que confundiu sua mulher com um chapéu
Oliver Sacks- 
Editora: Companhia das Letras

Referências Bibliográficas:

ARAÚJO, Tarso. Prosopagnosia: Eu te conheço? Disponível on line em: http://super.abril.com.br/saude/prosopagnosia-eu-te-conheco-447889.shtml
GRÜTER, Thomas. O mundo das pessoas sem rosto. Revista Mente e Cérebro. Revista de Psicologia, psicanálise, neurociência e conhecimento. Duetto. Ano XVI. Nº174. Jul/2007. p.66 -71.
Prosopagnosia. Disponível online em http://editthis.info/psy3242/Prosopagnosia


Nenhum comentário:

Postar um comentário