domingo, 10 de fevereiro de 2013

O iceberg cerebral




Uma metáfora sedutora nos ensinamentos da psicanálise é a comparação da consciência com o topo de um iceberg. A maior parte do iceberg está oculta abaixo da superfície da água, embora somente o topo (cerca de um décimo do volume total) seja visível. No entanto, são as correntes subterrâneas que movem o bloco de gelo, da mesma forma que nossas motivações inconscientes impelem nosso comportamento. Essa visão cativante é endossada pela neurociência cognitiva atual – boa parte de tudo que passa em nossa mente está oculto de nossa consciência.
O neurocientista cognitivo V. S. Ramachandran (2002, p.198) afirma que: “ a mais valiosa contribuição de Freud foi a descoberta que a mente consciente é simplesmente uma fachada e de que você é completamente inconsciente de 90%  do que realmente se passa em seu cérebro”.
A metáfora é precisa, mas o entendimento das razões que levam a este fenômeno por meio da ótica das neurociências difere da tradicional teoria psicanalítica, que oferece tanto descrições de fenômenos amplos do comportamento humano como explicações teóricas...
Através do avanço das técnicas de neuroimagem, talvez muitas teorias se confirmarão, talvez muitas serão desmistificadas...

CALLEGARO, Marco. O novo Inconsciente. Artmed

Se quiser saber mais sobre o a visão neurocientífica de Ramachandran assista o vídeo abaixo:



Nenhum comentário:

Postar um comentário