segunda-feira, 25 de março de 2013

Ficção científica ou realidade? - órgãos humanos criados em laboratório

Imagem The Wall Street Journal

      
     Devido a escassez de doadores de órgãos em meio a crescente demanda de transplantes, o desenvolvimento de peças “humanas” construídas em laboratórios está cada vez mais avançado. Além disso, ao contrário dos pacientes que recebem transplantes de outras pessoas, os órgãos produzidos em laboratório são construídos com células dos próprios pacientes. Então a rejeição deste órgão praticamente é inexistente.
           Através de um trabalho realizado por Dr. Alex Seifalian, várias pessoas já podem contar com transplante destes órgãos. O pesquisador está produzindo um nariz artificial  para o transplante ainda este ano, pois o paciente perdeu o mesmo devido ao câncer de pele.
      
Imagem The Wall Street Journal
         Até final de 1980, alguns cientistas acreditavam que seria possível fazer órgãos humanos pois as pesquisas sobre  o crescimento de  células humanas em laboratório estavam em alta. Entretanto, a tarefa tornou-se mais fácil quando cientistas descobriram substâncias químicas conhecidas como fatores de crescimento, que usa o próprio corpo para promover o crescimento celular.
            Os cientistas começaram a cultivar órgãos simples. Em 1999, Anthony Atala, diretor do Instituto Wake Forest de Medicina Regenerativa, em Winston-Salem, Carolina do Norte, implantado bexigas cultivadas em várias crianças com severos problemas disfuncionais. Os órgãos que continuaram a funcionar bem durante vários anos.
        Alguns dos trabalhos mais complexos estão em andamento no laboratório do Dr. Seifalian no Hospital Royal Free, em Londres. O Dr. Seifalian iniciou como físico nuclear e tornou-se interessado em usos médicos da tecnologia nuclear. Que finalmente o levou a bioengenharia. Em 2011, fez uma traqueia a partir de células de um paciente, usada para substituir a que estava cancerosa, salvando assim a sua vida.
        O Dr. Seifalian e 30 cientistas buscam construir uma laringe, orelhas, nariz, uretra e vias biliares.
Imagem The Wall Street Journal
       O segredo para todos os órgãos construídos em laboratório são as células-tronco, encontradas na medula óssea humana, gordura e outros lugares. As células-tronco podem se transformar em outros tecidos do corpo, tornando-se blocos de construção básicos para qualquer órgão.
         No entanto, o nariz a ser transplantado este ano, apresentava um desafio: estava faltando um pedaço crucial: a pele. Isso representava um obstáculo considerável, pois ninguém fez pele humana natural a partir do zero. A Ideia do Dr. Seifalian foi implantar o nariz sob a pele da testa do paciente na esperança de que o tecido deste local automaticamente cobrisse este novo órgão.  Mas o paciente não aceitou, e por uma boa razão: O nariz implantado teria de ficar dentro de sua testa por semanas ou até meses. No final, o Dr. Seifalian escolheu uma abordagem menos invasiva. O nariz de bioengenharia foi implantado sob o antebraço do paciente.
        A equipe agora está usando equipamentos de imagem para manter o controle sobre os vasos sanguíneos, pele e cartilagem se estão sendo formados no caminho certo. "Nós vamos ter que também se certificar de que não há infecção", disse o Dr. Seifalian.
      Se o enxerto de pele funcionar os cirurgiões irão remover o nariz que está no braço e anexá-lo ao rosto do paciente.  Como passo final, o cirurgião vai ligar os vasos sanguíneos a partir da face para o local do novo nariz a fim de  fornecer um fluxo constante de nutrientes para as células em crescimento. "O processo todo poderá levar seis meses", e o custo disso tudo é cerca de US $ 40.000, mas o paciente não está sendo cobrado porque os médicos e cientistas estão trabalhando nisso como parte de suas pesquisas.
       O Dr. Seifalian disse que o novo nariz poderia devolver algum sentido de cheiro para o paciente e a regeneração deste órgão seria uma conquista impressionante, a criação de um órgão complexo como o coração seria histórico. 
  Entretanto, a busca de construir um coração já é um órgão mais complexo ainda. A recompensa pode ser enorme, tanto médica e financeiramente, porque muitas pessoas ao redor do mundo sofrem com doenças cardíacas. Pesquisadores veem um mercado de bilhões de dólares para o desenvolvimento destas peças que podem reparar corações doentes e artérias obstruídas.
     Sendo esta a pesquisa da cardiologista Dr. Espanha Aviles “O coração de uma pessoa cresceria  no útero, onde suas células recebem as misturas certas de oxigênio e nutrientes e produtos químicos para crescer. Imitar o coração não é fácil. Por exemplo, mais de um galão de cursos de sangue através do coração humano a cada minuto. Além disso, as células do coração devem ser dadas as ligações eléctricas adequadas.”
       Dr. Aviles disse que espera ver o resultado desta pesquisa pronta em cinco ou seis anos, mas os obstáculos regulatórios e de segurança para colocar tal órgão em um paciente será alto. O cenário mais realista, disse ele, é que "em cerca de 10 anos" seu laboratório estaria preparado para este tipo de transplante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário