quinta-feira, 4 de abril de 2013

O que é sinestesia?

      O cinema nos convence de que o diálogo vem da boca dos atores em vez dos alto-falantes espalhados pela sala. Na dança, os ritmos do corpo imitam ritmos sonoros cineticamente e visualmente, parecendo ser uma só coisa...
     Conforme o filósofo David Chalmers, dentro da neurociência o estudo do cérebro tem ajudado a superar alguns estigmas que nos foram apresentados por mais de séculos. No decorrer da história existem diversas situações em que pessoas não tinham explicações para fatos ocorridos com elas.
      Um exemplo típico disso seria o caso dos sinestetas. Já ouviu falar?
      Dê uma olhada na imagem... consegue encontrar algum triângulo nela?


    Agora olhe novamente, porém observe à direita a maneira que os sinestetas visualizariam esta imagem...
Os números "2" formam o triângulo

O que é sinestesia?

    Sinestesia é uma condição na qual um sentido (por exemplo, da audição) é simultaneamente percebido como se por um ou mais sentidos complementares, tais como visão. Outra forma de sinestesia junta objetos como letras, formas, números ou nomes de pessoas com uma percepção sensorial, tais como cor, cheiro ou sabor. A palavra sinestesia vem de duas palavras gregas, syn (junto) e aisthesis (percepção). Portanto, a sinestesia, literalmente, significa "percepções unidas."
     Por exemplo, se pensarmos na palavra banana, o mais comum é lembrarmos da imagem da banana, sinestetas podem além da imagem da banana, ver a palavra banana escrita na cor amarela, projetada à frente de seus olhos, podem sentir o gosto da banana, o cheiro da banana, tudo isso em frações de segundos.


    Também é comum perceberem o alfabeto e os números com cores diferenciadas, sendo que no caso da banana, a escrita também poderia aparecer para eles desta forma...

     A sinestesia pode envolver qualquer um dos sentidos. Há sinestetas que ouvem sons em resposta a cheiro, cheiro em resposta ao toque, ou que sentem algo em resposta a visão. Há algumas pessoas que possuem a sinestesia que envolve três ou até mais sentidos, mas isso é extremamente raro. Segundo Grossenbacker, a visão de um sinesteta normalmente são percebidas fora do corpo. “As cores e os movimentos se formam em uma espécie de tela virtual, localizada a cerca de meio metro de distância do olhos”
     Percepções sinestésicas são específicas em cada pessoa. Diferentes pessoas com sinestesia quase sempre discordam em suas percepções.
       Segundo o neurologista Richard Cytowic, longe de ser raro, a sinestesia é comum – um em cada 23 indivíduos tem algum tipo de sinestesia.. Mentes que funcionam de maneira diferente não são tão estranhas assim. Por exemplo, muitos artistas, poetas e romancistas têm a capacidade de vincular ideias aparentemente não relacionadas entre si, como se fosse uma metáfora.
     Para Herculano-Houzel existem alguns tópicos importantes em relação a sinestesia:
1) sinestesia não é doença (pois não diminui a qualidade de vida), e sim uma variação da maneira como o cérebro processa sinais dos sentidos; 2) a sinestesia é herdada geneticamente, e portanto muito mais comum em famílias que já têm um ou mais sinestetas; 3) não tem tratamento (e por que teria, ou por que deveria ter, se é apenas uma maneira de processar estímulos? O que percebemos como sons, afinal, não são uma propriedade do estímulo que chega às orelhas, e sim de como o cérebro processa esse estímulo); 4) não é simples associação, memória, nem "modo de dizer", como algumas pessoas acham um som "macio" ou um aroma "pungente": é a capacidade que algumas pessoas têm de processar um estímulo como se fosse - SEMPRE - dois ou mais ao mesmo tempo. 
     A quantidade de progressos em relação às pesquisa sobre sinestesia nos últimos anos tem aumentado. O futuro está repleto de possibilidades para mais descobertas.  A revelação de algumas pessoas famosas que ditas sinestésicas, tais como os cientistas Nikola Tesla e Richard Feynman e a aceitação desta condição por parte da ciência, abrem caminho para que mais pessoas venham a falar sobre isso e talvez algumas se descubram sinestésicas e venham contribuir para pesquisas relacionadas a este enfoque.


Fonte:
CURTIS, Cassidy. Letter_Color Synaesthesia. Disponível online em http://otherthings.com/uw/syn/
 Herculano-Houzel, Suzana. Sinestesia: ver sons e cheirar imagens não é doença. Disponível online em: http://www.suzanaherculanohouzel.com/journal/2009/8/2/sinestesia-ver-sons-e-cheirar-imagens-no-e-doenca.html
Mente e Cérebro. Novas hipóteses para a origem da sinestesia. Disponível online em http://www2.uol.com.br/vivermente/noticias/novas_hipoteses_para_a_origem_da_sinestesia.html

4 comentários:

  1. ANTES EU ACHAVA QUE FOSSE SÓ AQUELE JOGO DE CORES EM QUE SE TROCA O NOME NA COR POR SUA COR EM SI, UM POUCO CONFUSO MAS BEM INTERESSANTE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      No Programa Globo repórter de ontem(17/05)foi abordado a questão da Sinestesia, muito interessante, vale a pena conferir. Abraços http://www.youtube.com/watch?v=jAulw4lmWPw

      Excluir
  2. Tenho dúvidas quanto ao termo e seu significado. Qual a diferença e quando aplicar as palavras "SINESTETA" e "SINESTÉSICO(A)". Agradeço a ajuda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que não existe diferença, são ambos termos que se utilizam para ''definir'' os indivíduos com esta condição neurológica

      Excluir