sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Mania de “enfeitar” a educação

    

     Interessante como as pessoas tem mania de querer enfeitar a educação. É comum ver em seminários, cursos e até em redes sociais as pessoas ficarem horas debatendo que educação é isso, é aquilo e etc... Queremos achar palavras bonitas, perfeitas que atenda a demanda educacional procurando promover a melhor qualidade possível. Até aí tudo bem, “promover melhor qualidade possível”.
     Minha preocupação não é e nunca foi com a terminologia correta das palavras, pois percebo que a teoria é muitas vezes desvinculada da prática, como diz Paulo Freire: “É preciso diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz, até que, num dado momento a tua fala seja a tua prática.”
     Contudo,  dentro do contexto educacional, assim como eu, muitos escutam a expressão: - “Os pais não dão mais educação aos filhos...”, interessante esta falácia: “dar educação”, e dentro do mesmo contexto os mesmos profissionais muitas vezes pregam que “educação não se dá”, “cria-se possibilidades de conhecimento”. Estranho isso não é? Queremos alunos educados, mas nosso discurso é outro, pois será que os pais não andam “criando possibilidades de conhecimento?” Enfim nossas palavras matam inconscientemente  a nossa teoria...
     Recentemente coloquei um post em minha fanpage falando sobre a aprendizagem estratégica:
“O ser humano aprende por repetição. Quanto mais vezes recebemos o mesmo conteúdo de diferentes formas, mais possibilidades de aprender.” (Mauro Pennafort)
     Pois é, o autor colocou claramente RECEBER O CONTEÚDO DE DIVERSAS FORMAS, mas surpreendentemente uma pessoa entre 68.000 seguidores insistia em corrigir a frase, pois no entendimento da mesma, EDUCAÇÃO NÃO SE RECEBE, pois “receber” seria um ato mecânico.
     E aí vem os questionamentos: Como aprendemos a ser afetivos se não recebemos afeto? Como meu filho irá aprender o certo ou o errado se não ENSINO ao mesmo?
     E o mais interessante de tudo é que criticamos tudo que relaciona a educação palavra por palavra, mas RECEBEMOS tudo que a mídia nos impõe. Desde o nosso jeito de se vestir, o cabelo que devemos usar,  o brinquedo que meu filho deve ter, a ferramenta tecnológica que está em voga...
     E  fazendo um adendo ao post em questão: Dentro dos conhecimentos provindos da Neurociências voltados à aprendizagem, Herculano_Houzel nos traz três princípios básicos: 1) Atenção e Prática; 2) Método;  3) Motivação
     Então, se leio o primeiro princípio “atenção e prática” subentendo o quê? Que educação é somente criar possibilidades de conhecimento? Ou posso também ter a humildade de entender que EDUCAÇÃO TAMBÉM NOS É DADA, ou seja, RECEBEMOS EDUCAÇÃO.


Nenhum comentário:

Postar um comentário