terça-feira, 19 de agosto de 2014

A Lebre, a Tartaruga e a Neurociência!!!


Ana Lúcia Hennemann

Uma das fábulas que merece destaque na literatura infantil é “A lebre e a tartaruga”.
Conta a história que a lebre considerada rápida como o vento, devido a agilidade de suas pernas, ridicularizou a tartaruga pois a mesma tem pernas curtas e caminha vagarosamente. No entanto, a tartaruga propôs um desafio para comprovar a veracidade das palavras proferidas pela lebre: - Que tal uma corrida?
A lebre topou o desafio na hora, pois estava convicta de suas habilidades e nem conseguia perceber nada de relevante nas habilidades da oponente.
No dia combinado, as duas concorrentes apresentaram-se para tal evento. A lebre toda confiante de sua vitória corria alguns percursos e em alguns momentos parava para descansar. No entanto, a não tão habilidosa tartaruga prosseguia de modo contínuo, devagar, mas mostrando persistência e foco no seu objetivo. (A história verdadeira não conta, mas a tartaruga era leitora assídua das publicações da Neurociências em Benefício da Educação e tinha conhecimento que a prática constante leva a perfeição, pois é, ela passou vários dias praticando e aperfeiçoando-se!!!)
E como todos bem sabem, no final a tartaruga tornou-se a vitoriosa da corrida.
Fim!!!
A história nos arremete a muitas metáforas engajadas no esforço pessoal, entretanto numa abordagem da neurociência ela nos faz refletir sobre a questão de dons e construção de habilidades. Quem nos diz que temos ou não habilidades para determinadas atividades?
Existem pessoas sim que tem habilidades extraordinárias, que nasceram para tal coisa, como se diz popularmente: - O cara nasceu para isso!!! Ele tem o dom!!! Mas, a neurociência tem nos mostrado que quanto mais praticamos determinados atos mais habilidosos nos tornamos naquele contexto, talvez não conseguimos chegar a um estado de excelência, mas certamente pode-se chegar a patamares muito elevados.
Aprender significa modificar comportamentos, sejam eles motores, emocionais ou cognitivos. Quanto maior o empenho destinado a aprendizagem de determinada habilidade, mais especialista nos tornamos. Conforme Herculano - Houzel: “a princípio qualquer pessoa pode se tornar excelente naquilo que faz, desde que se dedique, apresente uma motivação constante e muito treino.” 

Portanto, se você conhece alguém que seja muito habilidoso em determinado contexto, saiba que determinação, foco e treino constante podem ser a base de tudo que você precisa construir as mesmas habilidades que tal pessoa. Pois nosso cérebro é plástico, moldável e muda de forma segundo as áreas que mais utilizamos, conforme a atividade mental.

Nenhum comentário:

Postar um comentário