domingo, 27 de novembro de 2016

Habilidades Matemáticas – Santa Cruz do Sul - RS

Ana Lúcia Hennemann¹
Ontem (26.11.2016), uma das diversas turmas de Neuropsicopedagogia Clínica de Santa Cruz do Sul, teve a disciplina de Habilidades Matemáticas. Para quem não conhece, Santa Cruz do Sul é uma das cidades do estado do Rio Grande do Sul, cuja população em 2010 era de 102.891 habitantes. A cidade é conhecida por ser a sede da maior Oktoberfest do Rio Grande do Sul, receber um dos maiores festivais de arte amadora, o Encontro de Arte e Tradição, e pelo Autódromo Internacional de Santa Cruz do Sul.
E pela quantidade de alunos de Neuropsicopedagogia que por este local estão se formando através do CENSUPEG, certamente em futuro bem próximo, a cidade também será conhecida pela qualidade de profissionais desta área de atuação e por fazer um diferencial na aprendizagem de muitos indivíduos. Pois, conforme o Código de Ética Técnico-Profissional da SBNPp (2016),
A Neuropsicopedagogia é uma ciência transdisciplinar, fundamentada nos conhecimentos da Neurociências aplicada à educação, com interfaces da Pedagogia e Psicologia Cognitiva que tem como objeto formal de estudo a relação entre o funcionamento do sistema nervoso e a aprendizagem humana numa perspectiva de reintegração pessoal, social e educacional.

Diante o entendimento da fundamentação da Neuropsicopedagogia é que nossos alunos têm disciplinas voltadas a toda estas interfaces, e sendo assim precisam de subsídios para compreender como ocorre o processo de avaliação e intervenção dos transtornos específicos de aprendizagem, além de outros. E é neste sentido que ocorreu a disciplina de Habilidades matemáticas, cujos objetivos já foram descritos na publicação “Habilidades Matemáticas – Araranguá SC”.
A turma de Santa Cruz do Sul também recebeu orientações de como fazer testagem em aritmética, através da “Prova de Aritmética” de Seabra, Dias e Capovilla, e teve a oportunidade de manusear um dos mais recentes instrumentos de sondagem das habilidades matemáticas nos anos iniciais do ensino fundamental, o “CORUJA PROMAT”. O mesmo tem por objetivo verificar se as competências numéricas básicas foram adquiridas e, em caso de defasagem indicar a(s) área(s) de concentração das dificuldades. Deste modo é possível identificar com maior exatidão áreas prioritárias para a intervenção especializada.
Também como forma de entendimento de “disfuncionalidades” relacionadas a aritmética, nos utilizamos de KOSC (1974, apud RUSSO 2015) explicando os seis tipos de discalculia: verbal, practognóstica, léxica, gráfica, ideognóstica e operacional.

E como não poderia faltar nas atividades finais da disciplina: utilizamos alguns jogos e atividades de intervenção voltados a aritmética, enriquecidos através de relatos e amostras de práticas já utilizadas por nossas aulas dentro do seu contexto do trabalho.

Referências:

RUSSO, Rita. Neuropsicopedagogia Clínica: Introdução, Conceitos, Teoria e Prática. Curitiba: Juruá, 2015.

SEABRA, DIAS e CAPOVILLA. Avaliação Neuropsicológica Cognitiva: Leitura, Escrita e Aritmética. Vol. 3. São Paulo: Memnom, 2013.

SBNPp. NOTA TÉCNICA Nº 01/2016. Joinville, SBNPp, 2016.  Disponível online em: http://www.sbnpp.com.br/wp-content/uploads/2016/11/Nota-T%C3%A9cnica-01-2016-agosto.pdf

WEINSTEIN, Monica. Coruja PROMAT: roteiro para sondagem em habilidades matemáticas ensino fundamental I. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2016.


NotaSe você tem dúvidas relativas a Neuropsicopedagogia, consulte o site da Sociedade Brasileira de Neuropsicopedagogia: www.sbnpp.com.br
-------------------------------------------------------------------------------------------------------
[1]Especialista em Alfabetização, Neuropsicopedagogia e Educação Inclusiva, Neuropsicopedagogia Clínica e Neuroaprendizagem. - whatsApp - 51 99248-4325


Nenhum comentário:

Postar um comentário