domingo, 11 de dezembro de 2016

Linguagem – Araranguá - SC

Ana Lúcia Hennemann¹
A Linguagem é um dos fatores primordiais do desenvolvimento humano. Através dela que nos comunicamos, que expressamos o que queremos, sentimos, que nos relacionamos com outros. Dentro do curso de Neuropsicopedagogia Clínica o enfoque é para a linguagem relacionada à leitura e escrita, pois quando estas não se encontram em pleno funcionamento podemos estar diante de um Transtorno Especifico de Aprendizagem que exige uma boa bagagem de conhecimento para fazer a avaliação e a intervenção.
Desta vez, a disciplina ocorreu em Araranguá, cidade de Santa Catarina. Como já havia mencionado na publicação Habilidades Matemáticas – Araranguá – SC, a cidade é belíssima e possui um maravilhoso ponto turístico que mercê destaque: o balneário Morro dos Conventos.
Embora a cidade já tenha outros profissionais de neuropsicopedagogia formados pelo CENSUPEG, esta é a primeira turma de neuropsicopedagogos clínicos que por sinal estão nas últimas disciplinas do curso, e, justamente no mês em que o “corre-corre” das atividades profissionais é imenso, principalmente para quem atua na área educacional (elaboração de provas, correção, registro de notas, escrita de pareceres, ensaio para apresentação de final de ano, etc) ainda assim há aqueles que encontram tempo para estudar, se aperfeiçoar, buscar subsídios que agreguem valor na melhora da qualidade de vida daqueles com os quais interagem ou futuramente irão interagir.
E por isso, estas pós-graduandas de Araranguá, tiveram que deixar em “modo de espera” o convívio com a família, amigos, atividades profissionais e mantiveram o foco na aula aprendendo a diferenciar quando estamos diante de uma criança que sofreu um processo de “não alfabetização” de uma que tem um Transtorno Específico de Aprendizagem, por isso passamos o dia estudando diversos aspectos que envolvem a Linguagem (Fundamentos, bases neurológicas, desenvolvimento normal e alterações).
O DSM-V nos traz critérios importantíssimos que servem de base para a avaliação da leitura e escrita, bem como, o livro Neuropsicopedagogia Clínica, de Rita Russo, foi referência essencial o qual nos apropriamos do conteúdo do capítulo III, que retrata as dificuldades de aprendizagem e principalmente nos dá subsídios para entender a complexa integração dos processos neurológicos e a evolução das habilidades básicas necessárias para a alfabetização.
Dentre os diversos instrumentos que se encontram para avaliar questões relacionados à Linguagem (Leitura e Escrita) priorizamos o estudo do CONFIAS, que tem como objetivo avaliar a consciência fonológica de forma mais abrangente e sequencial, comparando com o que é esperado com cada hipótese de escrita (psicogênese).
Como forma de aliar todo conhecimento provindo dos referencias teóricos com a pratica clínica, foi proporcionado as alunas atividades práticas, contemplando intervenção relacionada aos pressupostos da prontidão para alfabetização, e também a leitura e escrita.  

Referências:

MOOJEN, Sônia Maria. CONFIAS: Consciência Fonológica: instrumento de Avaliação Sequencial. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.

RUSSO, Rita. Neuropsicopedagogia Clínica: Introdução, Conceitos, Teoria e Prática. Curitiba: Juruá, 2015.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
[1]Especialista em Alfabetização, Neuropsicopedagogia e Educação Inclusiva, Neuropsicopedagogia Clínica e Neuroaprendizagem. - whatsApp - 51 99248-4325


Nenhum comentário:

Postar um comentário